quarta-feira, 13 de março de 2013

• Quero ser Marco Glaviano!

Já não estou na idade de sonhar com o que serei quando for grande… Mas a minha filha está. E eu aprecio ouvir os seus sonhos. E sonhar com ela os seus objectivos de vida tem o efeito de reviver os meus.

Ainda nada fiz nesta vida que tenha servido de justificação ao criador pelo seu esforço de me ter posto neste mundo. Excepto ter feito vir a este mesmo mundo a minha filhota e a ter educado enquanto ela me ensinava a ser pai. Desde a mais tenra idade que ela é o melhor dos mestres que eu tive.

Talvez também tenha aportado algo de bom às existências de outros seres que se cruzaram comigo por breves anos… Mas isso é pouco. Queria ter alcançado mais. Mas andei ao sabor do vento. A viver um dia de cada vez sempre. Nada mais.

Se bem que me veja como um falhado quando me encontro mais down, não me posso queixar contudo de não ter tido alguma sorte. Sorte que me aparece quando menos espero mas quando mais preciso. Nada a dizer! O destino me tem poupado de infortúnios maiores dos que a maioria dos demais sofrem. E isso me tem levado a confiar quiçá demasiado na fortuna mia.

Há dias minha descendência confessou-me que ambiciona dedicar-se à fotografia. Eu também acalentei esse desiderato quando era aluno universitário. Mas sempre tive a crença que não seria esta a minha actividade principal. Permaneceria em mim apenas como um hobby.

Hoje em dia estoy en el paro há cerca de um ano, com algumas interrupções esporádicas. And these are really harsh times, in our western world!… Tenho escassos meios económicos para realizar e no entanto imenso tempo para sonhar. E volto a sonhar ser um renomado fotógrafo. Mais empenhado do que até aqui fui. Enfim, não tanto pelo renome, que todos nós gostamos de ter reconhecimento público, vá... Mas mais pela satisfação pessoal. Pelo prazer de criar algo belo. Pela devoção de conseguir captar e guardar para a posteridade a beleza que tem de ser eternizada, by all means.

Perdi para a voragem da vida mundana um dos meus dois principais modelos. A minha última paixão. Queria voltar a ganhar uma musa como ela foi. E tenho fé que o hei-de conseguir. Lá está, crendo uma vez mais na minha sorte… E assim vou visando alto, querendo ser como Marco Glaviano*, um dos meus ídolos.

Aspecto exterior da Casa-Estúdio
Carlos Relvas, na vila da Golegã
Neste país em que eu nasci, viveu um século antes de mim um visionário na então arte nascente da fotografia: Carlos Relvas. Cujo mui respeitável génio sonhou e construiu uma casa que julgo nunca terá servido de habitação mas foi antes concebida a pensar exclusivamente na sua utilização como atelier para a sua paixão por retratar pessoas. Que era no que a invenção da fotografia era sobretudo empregue no seu tempo. E assim nasceu na Golegã um curiosíssimo edifício a que hoje designamos Casa-Estúdio Carlos Relvas. Provavelmente único no seu tempo. E talvez tão improvável também que esta obra tenha surgido naquilo que Eça jocosamente chamava a "paisagem".

Mais uma vez, numa ciência que despontava um português não quis deixar de estar presente entre os pioneiros. Bela tradição nacional esta! Pode ser que me inspire neste meu devaneio. E por aqui minha actividade onírica se quedará hoje.
________________________________________________________

* Ou como Irina Ionesco. Ou Ansel Adams. Ou Jan Saudek. Ou Bob Carlos Clarke. Ou até um texano de menor nomeada mas que não deixa de ser fascinante, Johnny Crosslin. Que estes são alguns daqueles que mais aprecio a elevar a fotografia a uma arte maior. E de cujos temas principais que para si elegeram mais me aproximo.

Nota: as imagens deste post - à excepção da foto da Casa-Estúdio Carlos Relvas, como é bom de ver - constituem o meu "best of" de todo o imenso portfolio do siciliano Marco Glaviano.

2 comentários:

Malu Silva disse...

Um show de postagem desde sonhador de fotógrafo que muito me encantou...
Bravo! Aplaudo em pé e tiro o chapéu para estes teus sonhos tão consistentes...
Abraço

Giuseppe Pietrini disse...

Obrigado por suas palavras, cara Malu Silva.

Assim, com esse seu incentivo, vai ser mais difícil não seguir com todo o afinco esse sonho que aqui partilhei. É muita gentileza sua, meu anjo.

Beijim! ;-)
Giuseppe